sábado, 18 de junho de 2016

Memórias

Memórias, conversas, histórias...
Risos atravessados
Sob olhares aveludados
Mergulhados em sintonia

Memórias, conversas, histórias...
De outros ventos
De outro espaço
Quando a gente não se conhecia

Memórias, conversas, histórias...
Por um tempo
De tanto em tanto
Por dentro dessa madrugada fria

Memórias, conversas, histórias...
Cheia de mistérios
Como a vida

Thaís Pires-Alves
Copyright: Thaís Pires-Alves


sábado, 2 de janeiro de 2016

Êxtase particular

Corei,
Meu rosto queimava,
Minha pele suava frio,
E meu corpo tremia de nervoso

Beirei a sentir um rodopio no estômago
Mas um estalo tomou meu peito e pensei..
Se não for dessa vez nada sei
Só sei que o meu bem, eu bem avistei

Thaís Pires-Alves.
Copyright: Thaís Pires-Alves

terça-feira, 14 de abril de 2015

Encontro

Ao seu encontro me lanço
Mergulhando no lençol branco
Pele sobre pele
Toque sobre toque
E por minutos incontáveis ficamos nesse enlaço...

A claridade cristalina 
Começa a tocar sua pele
E escuto o barulho do seu corpo
Acompanhar a agitação da cidade
O tumulto da feira toma conta do quarto
E a gente impaciente acorda
Até porque, eram três da tarde




Thaís Pires-Alves.
Copyright: Thaís Pires-Alves


quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Ladeira da Insônia

6 horas
Era isso e mais nada
A noite inquieta e aflita
Passa sorrateira e vazia
Enquanto toda a vizinhança silencia
Meus olhos se recolhem
E me jogo em mais uma tentativa
Corpo jogado para o lado
Mãos abraçando o travesseiro
E os pensamentos vagando como um redemoinho
De nada adianta tentar dormir
Torno a olhar o despertador
Você tem 5 horas a partir de agora, ele responde
Respiro fundo e penso
Se tem uma coisa que você sabe
É que tudo acaba dando certo
Tá bom, tá bom
Lá vai mais uma tentativa
Se eu não voltar a escrever
É porque deu certo mesmo


Thaís Pires-Alves.
Copyright: Thaís Pires-Alves


terça-feira, 21 de outubro de 2014

Um quilo de cócegas

Um quilo de cócegas
Era a receita do dia
Para amaciar em poucas doses, dizia
E transformar cada ódio
Cada tristeza
Cada medo
Cada solidão
Em ventania

Um doce dedilhar,
Excitante, empolgante,
Extasiante...
Como a primeira vez..

Um quilo de cócegas
Dizia, por fim,
Não há quem negue, um só dia...


Thaís Pires-Alves.
Copyright: Thaís Pires-Alves


segunda-feira, 4 de agosto de 2014

De braços abertos


De braços abertos 
A mãe recebe seu filho
De braços abertos 
Conforto meu melhor amigo 
De braços abertos
Se dança uma ciranda 
De braços abertos
A paz é celebrada
De braços abertos
O Rio é escorado
De braços abertos
Se consola uma dor
De braços abertos,
Digo 
Fim.

Thaís Pires-Alves.
Copyright: Thaís Pires-Alves

domingo, 4 de maio de 2014

Deu sorte

Ontem deu no jornal
Amanhã seria um dia banal
De pingos em pingos passaríamos
E mais um, distante do sol, seria

Meus ouvidos, na hora, desconfiaram
Só podia ser mais uma bola fora
Do extenso jornal nacional
Que de clima de nada sabia

Conversei com o céu
Na esperança de uma resposta
Afinal, que ventos traria?
Meio a meio era a resposta
Dependia do seu ponto de vista

Bom,  acho que dessa vez meu ponto de vista deu SORTE!


Thaís Pires-Alves.
Copyright: Thaís Pires-Alves